domingo, 12 de fevereiro de 2012

Cantora Whitney Houston morre aos 48 anos


A cantora e atriz norte-americana Whitney Houston morreu neste sábado (11), aos 48 anos, segundo informações da agência de notícias Associated Press. De acordo com a polícia local, Houston foi encontrada morta em seu quarto, no quarto andar de um hotel de Beverly Hills. Não havia sinais aparentes de crime ou violência, declarou um porta-voz da polícia a jornalistas diante do hotel. Segundo Kirsten Foster, assessor da estrela, a causa da morte permanece desconhecida e está sendo investigada.

Segundo a polícia de Beverly Hills, seguranças do hotel fizeram uma ligação de emergência sobre Houston às 15h43 locais (21h43 no horário de Brasília). Uma equipe de paramédicos já estaria no hotel por conta de uma festa do Grammy e teria tentado ressuscitar, sem sucesso, a cantora. Às 15h55, Houston foi declarada morta.


A notícia da morte de Whitney Houston surge na véspera da maior premiação da música mundial, o Grammy, que será realizado neste domingo (12), em Beverly Hills. Um de seus mentores de longa data, o produtor Clive Davis, chegou a afirmar que ela estaria presente à festa e, inclusive, deveria cantar. "É a noite favorita dela no ano, então quem sabe..."



Em nota, Neil Portnow, presidente da Academia fonográfica, responsável pelo Grammy, disse que Houston "era uma das maiores cantoras pop do mundo de todos os tempos" e que "uma luz se apagou na comunidade musical".

O líder religioso negro Reverendo Al Sharpton, convocou o público a orar. "Na manhã do Grammy, o mundo deve fazer uma pausa e rezar pela memória de uma cantora talentosa."
As cantoras Aretha Franklin, Mariah Carey e Jennifer Lopez, entre outras, também lamentaram a perda de Houston (leia mais).

"Garota de ouro"
Celebrada como "a garota de ouro" da indústria fonográfica entre as décadas de 80 e 90, a carreira de Houston andava ofuscada por problemas com drogas, bebida e violência doméstica.
 
No final de 2009 e início de 2010, após anos de luta contra a dependência química, ela ensaiou uma fracassada volta aos palcos. Na parte inicial de sua turnê britânica, parecia sofrer com falta de ar quando cantava. Em Paris, chegou a ser hospitalizada com uma infecção respiratória e adiou várias apresentações. Na Austrália, sua passagem foi vaiada por fãs e critica pela imprensa especializada.

Whitney Houston chegou a vender 55 milhões de discos, só nos Estados Unidos. O sucesso a levou da música para o cinema, atuando em filmes como "O Guarda-Costas", com Kevin Costner, e "Falando de Amor", dirigido por Forest Whitaker.

Nessa mesma época, influenciou uma geração de cantoras  como Christina Aguilera e Mariah Carey até que sua voz e imagem foram destruídas pelo uso de drogas e a vida pessoal tumultuada com seu último marido, o cantor Bobby Brown.

No final de sua carreira, Houston tornou-se célebre por abusar das drogas. As vendas de seus álbuns diminuíram, e sua imagem serena foi abalada por um comportamento violento e aparições públicas bizarras. Ela confessou ter abusado de maconha, cocaína e comprimidos, e sua voz foi ficando cada vez mais rouca, fazendo com que ela não conseguisse atingir as altas notas que a tornaram famosa.
"O grande mal sou eu. Não sou nem minha melhor amiga nem minha pior inimiga", disse a cantora em entrevista a Diane Sawyer em 2002.
Biografia
Whitney era filha da cantora gospel Cissy Houston, prima da diva dos anos 60 Dionne Warwick e afilhada de Aretha Franklin. Ela começou a cantar em igrejas ainda criança. Adolescente, fazia backing vocals para Chaka Khan, Jermaine Jackson e outros, e era modelo. Foi nesse período que o magnata da música Clive Davis ouviu falar da cantora.

"A primeira vez que a vi foi em um show de sua mãe... O impacto foi muito grande. Ouvir aquela jovem colocando fogo nas músicas. Provocou, de verdade, arrepios na espinha" , disse Davis ao "Good Morning America".
Pouco tempo depois, os Estados Unidos sentiram esse "arrepio" também. Houston gravou seu primeiro álbum, "Whitney Houston", em 1985. Foram vendidas milhões de cópias e suas músicas se tornaram sucesso. "Saving All My Love for You" rendeu à cantora seu primeiro Grammy, de melhor vocalista pop. "How Will I Know," "You Give Good Love" e "The Greatest Love of All" também se tornaram singles.
Seu segundo trabalho, "Whitney", de 1987, também teve grandes sucessos como "Where Do Broken Hearts Go" e "I Wanna Dance With Somebody".
O "New York Times" descreve a voz da cantora como "uma das melhores vozes gospel de sua geração". "Whitney evitava os maneirismos típicos do gênero, e usava frases evangélicas com moderação. Em vez de projetar vulnerabilidade e compaixão, ela comunicava força e auto-confiança, fazendo baladas pop majestosas."
A cantora deixa uma filha, Bobbi Kristina, fruto de seu casamento com Bobby Brown. Eles ficaram juntos entre 1992 e 2007.
Fonte: Camocim Online
*Com informações da Redação e das agências internacionais.
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei.

Número Total de Visitas

Siga por E-mail

Translate

As Mais Vistas da Semana

Sintraf - Sairé

Arquivo do blog

Todos os Direitos Reservados à Washington Carvalho e Grupo UEEPAA de Comunicação. Tecnologia do Blogger.
uery.min.js' type='text/javascript'/>